Frete grátis acima de R$ 250,00 (envio via PAC)

Plano de parto

Cada vez mais, ao redor do mundo, defende-se o conceito da humanização da hora do nascimento: ou seja, de que a gestante seja protagonista de seu próprio parto, tendo autonomia sobre as decisões para que este momento seja como ela desejou. Uma importante ferramenta na construção dessa nova cultura é o ‘plano de parto’.

Garantido pela legislação brasileira e recomendado pela Organização Mundial de Saúde, o plano de parto é um documento no qual a gestante deixa registrado, por escrito, tudo o que deseja em relação às etapas do parto, procedimentos médicos e cuidados com o recém-nascido. Desta forma, a futura mãe pode opinar sobre o que considera melhor para o seu corpo e para o seu bebê, em um momento de profunda vulnerabilidade. O plano deve ser feito, preferencialmente, junto com o obstetra durante o pré-natal e requer a assinatura da gestante e do especialista. Os principais objetivos do documento são:

  1. Evitar imprevistos de difícil solução durante o trabalho de parto.
  2. Levar a mulher conhecer e pensar sobre cada momento do seu parto, podendo fazer escolhas que se referem ao seu corpo e ao seu bebê.
  3. Deixar suas preferências bem claras para a equipe que vai acompanhá-la.

É importante cultivar uma relação de comunicação aberta com a equipe que irá acompanhar a gestante. Além de saber dos procedimentos de praxe do obstetra ou parteira e também da maternidade, é recomendado buscar informações em livros e sites de confiança. Listas de discussão na internet e cursos de preparação para o parto podem ajudar bastante. Se possível, a futura mãe deve conversar com ex-gestantes que tiveram parto no mesmo local, ou com o mesmo profissional. Aos pouquinhos, cada mulher vai descobrir o que quer e o que não quer para o seu momento, e o plano de parto vai se tornando mais claro, à medida que a gestante conversa e negocia com seu médico o que é possível e o que não é.

Pequenos detalhes no documento fazem uma grande diferença, e podem garantir um parto único e feliz, do jeito que foi sonhado, com maior segurança para mãe, pai e bebê. A equipe também é beneficiada, pois o documento funciona como uma bússola para melhor atender à gestante, e pode levá-los a refletir as práticas que eram feitas anteriormente.

É importante ter em mente, no entanto, que o plano de parto é o direcionamento a ser seguido caso a gravidez e o trabalho de parto sigam seu curso sem complicações. Em caso de risco para a mulher ou o bebê, as diretrizes do Ministério da Saúde colocam o plano como fonte secundária, cabendo à equipe médica tomar as decisões finais sobre os procedimentos necessários para um parto seguro. O médico deve, por lei, informar à gestante e ao acompanhante quaisquer decisões a serem tomadas e o seus motivos.

Abaixo, segue um modelo de plano de parto* que pode ser adaptado de acordo com as vontades da gestante e as opiniões do obstetra:

"Estamos cientes de que o parto pode tomar diferentes rumos. Abaixo listamos nossas preferências em relação ao parto e nascimento do nosso filho, caso tudo transcorra bem. Sempre que os planos não puderem ser seguidos, gostaríamos de ser previamente avisados e consultados a respeito das alternativas.

Trabalho de parto:

-  presença de meu marido e doula.
- sem tricotomia (raspagem dos pelos pubianos) e enema (lavagem intestinal).
- sem perfusão contínua de soro e ou ocitocina 
- liberdade para beber água e sucos enquanto seja tolerado. 
- liberdade para caminhar e escolher a posição que quero ficar. 
- liberdade para o uso ilimitado da banheira e/ou chuveiro. 
- monitoramento fetal: apenas se for essencial, e não contínuo. 
- analgesia: peço que não seja oferecido anestésicos ou analgésicos. Eu pedirei quando achar necessário.
- sem rompimento artificial de bolsa

Parto:
 - prefiro ficar de cócoras ou semi-sentada (costas apoiadas).
 - prefiro fazer força só durante as contrações, quando eu sentir vontade, em vez de ser guiada. Gostaria de um ambiente especialmente calmo nesta hora.
- não vou tolerar que minha barriga seja empurrada para baixo.
- episiotomia: só se for realmente necessário. Não gostaria que fosse uma intervenção de rotina.
- gostaria que as luzes fossem apagadas (penumbra) e o ar condicionado desligado na hora do nascimento. Gostaria que meu bebe nascesse em ambiente calmo e silencioso.
- gostaria de ter meu bebe colocado imediatamente no meu colo após o parto com liberdade para amamentar.
- gostaria que o pai cortasse o cordão após o mesmo ter parado de pulsar.

 

Após o parto:
- aguardar a expulsão espontânea da placenta, sem manobras, tração ou massagens. Se possível ter auxílio da amamentação.
- ter o bebê comigo o tempo todo enquanto eu estiver na sala de parto, mesmo para exames e avaliação.
- liberação para o apartamento o quanto antes com o bebê junto comigo. Quero estar ao seu lado nas primeiras horas de vida.
- alta hospitalar o quanto antes.

Cuidados com o bebê:
- administração de nitrato de prata ou antibióticos oftálmicos apenas se  necessário e somente após o contato comigo nas primeiras horas de vida.
- administração de vitamina K oral (nos comprometemos em dar continuidade nas doses).
- quero fazer a amamentação sob livre demanda.
- em hipótese alguma, oferecer água glicosada, bicos ou qualquer outra coisa ao bebê.
- alojamento conjunto o tempo todo. Pedirei para levar o bebê caso esteja muito cansada ou necessite de ajuda.
- gostaria de dar o banho no meu bebê e fazer as trocas (ou eu ou meu marido).

Caso a cesárea seja necessária:
- exijo o início do trabalho de parto antes de se resolver pela cesárea.
- quero a presença da doula e de marido na sala de parto.
- anestesia: peridural, sem sedação em momento algum.
- na hora do nascimento gostaria que o campo fosse abaixado para que eu possa vê-lo nascer.
- gostaria que as luzes e ruídos fossem reduzidas e o ar condicionado desligado.
- após o nascimento, gostaria que colocassem o bebê sobre meu peito e que minhas mãos estejam livres para segura-lo.
- gostaria de permanecer com o bebe no contato pele a pele enquanto estiver na sala de cirurgia sendo costurada.
- também gostaria de amamentar o bebê e ter alojamento conjunto o quanto antes.      


Agradeço muito a equipe envolvida e a ajuda para tornar esse momento especial e tão importante para nós em um momento também feliz e tranqüilo como deve ser.

Muito obrigada,


_________________________________
Local e data

 
________________________________________________________
Assinaturas da mãe e do pai

 

_________________________________________________________
Assinaturas do médico obstetra e pediatra

*Texto inspirado no livro "Parto Normal ou Cesárea - tudo o que as mulheres deveriam saber", escrito por Ana Cristina Duarte e Simone Diniz (Editora Unesp)

______

Se você gostou deste texto, compartilhe em suas redes sociais para que, cada vez mais, papais e mamães tenham acesso a este conteúdo. Quer saber mais sobre algum assunto envolvendo gestação, bebês, infância e maternidade? Envie as suas sugestões para contato@cecibonloja.com.br e te avisaremos, caso o seu tema seja escolhido. Obrigada!

receba no seu e-mail

Cadastre-se e receba ofertas exclusivas.