Frete grátis acima de R$ 250,00 (envio via PAC)

Qual é o papel do pai nas primeiras semanas do bebê?

É comum que, durante as primeiras semanas do bebê em casa, o pai se sinta excluído da relação com o filho. Alguns voltam ao trabalho logo após o parto, geralmente, por não saberem o quão importante sua participação é nesta fase. Muitos costumam dizer que a criança “só mama e dorme” e, assim, não encontram seu papel nessa rotina que parece tão exclusiva da mãe. Mas esse momento da vida do bebê e do casal é mais importante do que parece e deve ser vivido por ambos.

A participação ativa do pai deve se iniciar desde a gestação, com o acompanhamento no pré-natal e assistência durante o parto, seja ele normal ou cesárea. Depois do nascimento, é importante ter em mente que a parceira pode estar sensível, vivendo profundas oscilações de humor e hormonais. A paciência nesse período é fundamental e, talvez, o melhor presente que você pode dar à sua parceira.

É comum que os pais se sintam menos importantes que as companheiras nas primeiras semanas, mas a verdade é que ambos são essenciais para o sucesso deste momento e cada um tem um papel diferente no processo, com obrigações e responsabilidades. O pai deve entender, desde a gestação, que é igualmente responsável pelo filho. Dentre todos os afazeres que um novo bebê gera, o único que não pode ser realizado pelo pai é a amamentação. Quaisquer outras obrigações podem e devem ser feitas também pelo parceiro. Cabe ao casal listar tais responsabilidades, conversar e definir quais serão as tarefas de cada um durante o período.

Logo após a alta hospitalar, cabe ao papai a assistência – que é o que vai permitir que a mamãe esteja tranquila e saudável para amamentar e acalentar o bebê. É importante que o papai tenha sempre os contatos certos à mão. O telefone do pediatra, do hospital mais próximo e todos os contatos importantes devem estar ao alcance em caso de qualquer emergência.

Abastecer a casa é também algo que o pai pode fazer e que vai facilitar imensamente a rotina da família. Manter a geladeira e armários abastecidos com ingredientes para refeições rápidas e práticas pode salvar a noite em dias em que há coisas demais para fazer e não dá tempo para preparar o jantar. As refeições são mais caóticas no início, então pedir uma pizza ou um marmitex, de vez em quando, não é problema.

Outra coisa da qual o papai pode se encarregar é pesquisar e ter sempre uma lista de lugares onde encontrar fraldas, creme antiassaduras, protetores para seios e quaisquer itens necessários para a mamãe e o bebê. Manter o estoque sempre em dia é uma das responsabilidades do parceiro.

Com o nascimento do bebê, as visitas de familiares e amigos são inevitáveis. Todos querem notícias e estar perto da nova família. Apesar dos mimos e carinhos serem maravilhosos, é importante que o papai esteja atento quando todo esse contato se torna demais para a família. Cabe ao pai ser o mensageiro nessas situações, explicando, da melhor maneira possível que, em certas horas, o casal e o bebê precisam de sua privacidade para viver este momento e colocar as coisas em ordem. Manter os amigos e familiares informados por mensagens e pela internet é uma boa opção.

É importante mimar a parceira nesta fase. Como dito anteriormente, quase todas as mães ficam doloridas, cansadas e sobrecarregadas de hormônios e agitação depois do nascimento do bebê, então toda ajuda é bem-vinda. Uma massagem, refeição especial, lanchinhos e sucos enquanto ela amamenta são uma ótima ideia. É essencial também entender que, talvez, a parceira não se sinta confortável em ter relações sexuais nas primeiras semanas. Ela estará cansada, dolorida e, possivelmente, se sentindo estranha com relação ao próprio corpo. Ajudá-la a voltar a se sentir atraente é fundamental.

Para fortalecer o laço entre papai e bebê (e permitir que a mamãe descanse), o parceiro pode se encarregar do banho. Alguns profissionais, afirmam que o momento banho com o papai deve ser feito no chuveiro, para que o contato pele-a-pele contribua para conexão entre o pai e o bebê. Logo após a mamada, a mamãe pode entregar o bebê ao papai, que já estará no chuveiro. A água deve ser morna, na temperatura usual do corpo.

Além disso, o pai deve realizar a troca de fraldas e roupinhas sempre que puder. Ele pode estar ao lado durante a amamentação e depois da mamada, e também pode segurar e ajudar o bebê a arrotar, além de acalentar o filho na hora de dormir e fazer massagem nos momentos em que o bebê sente cólica.

O mais importante é respeitar e entender o momento que mamãe e bebê estão vivendo sem se sentir diminuído. Apesar desta também ser uma nova fase na vida do papai, as mudanças que ocorrem são menores para ele. Por isso, é essencial ouvir ativamente a parceira para saber exatamente em quais áreas o pai pode agir para tornar a experiência ainda mais bonita.

______

Se você gostou deste texto, compartilhe em suas redes sociais para que, cada vez mais, papais e mamães tenham acesso a este conteúdo. Quer saber mais sobre algum assunto envolvendo gestação, bebês, infância e maternidade? Envie as suas sugestões para contato@cecibonloja.com.br e te avisaremos, caso o seu tema seja escolhido. Obrigada!

receba no seu e-mail

Cadastre-se e receba ofertas exclusivas.